public Notícia
Home/ Notícia
public Notícia

SC terá que investir mais de R$ 500 milhões em vacinas, diz Tribunal de Contas do Estado

Foto: Dive/Divulgação/ND

Um levantamento realizado pelo TCE/SC (Tribunal de Contas de Santa Catarina) para verificar as ações do governo de Santa Catarina na compra de vacinas contra a Covid-19, apontou que ainda será necessário um investimento de aproximadamente R$ 584 milhões em imunizantes.

Os dados indicam que o Estado possui um total de 5 milhões e 481 mil pessoas a serem vacinadas, e para isso, há a necessidade de 10 milhões e 962 mil doses. Até o atual momento, ainda restam 9 milhões e 943 mil doses a serem compradas, de acordo com o relatório.

O estudo destaca ainda que existem limitações produtivas e de disponibilidade de imunizantes no mercado nacional e mundial, e por isso é dever dos governos estadual e municipais estarem atentos a todas as movimentações, e preparados administrativamente para agirem imediatamente em busca do incremento vacinal catarinense.

Pela análise do Tribunal de Contas, foram aplicadas, até o dia 26 de março de 2021, 639 mil doses da vacina contra a Covid-19, o que representa 5,83% do total de doses necessárias para vacinar a população adulta catarinense e 11,03% da necessidade para vacinar o grupo prioritário.

Do total aplicado, 508 mil são relativas à 1ª dose e 130 mil são relativas à 2ª dose.

SC aplicou 62,7% das doses que recebeu

A pesquisa, realizada por meio da DAE (Diretoria de Atividades Especiais), apontou outro aspecto importante no tema: um certo descompasso entre o quantitativo de doses entregues e a aplicação de doses de vacinas até o momento.

Santa Catarina recebeu cerca de 1,1 milhão de doses, e aplicou 639 mil, o que representa 62,7% do total das doses em mãos.

“Esse fato pode se dar pela decisão estratégica em segurar vacinas para aplicação da 2ª dose e/ou devido a problemas na gestão da vacinação que precisariam ser investigados, situações que podem agravar o ritmo ainda lento da vacinação no Estado”, ressalta o levantamento.

Já a diretora da DAE, Monique Portella, faz críticas à gestão da SES (Secretaria de Estado da Saúde) e indica os passos necessários para melhorar o cenário.

“O hiato existente entre o montante de doses distribuídas e aplicadas nos municípios confirma a gestão inadequada.

A SES precisa delimitar aos municípios, de forma clara, metas e cronogramas para que o Estado possa cobrar e alimentar um planejamento próprio, que não se confunde ao plano nacional de vacinação”, defende Portella, que é auditora fiscal de controle externo.

Grupo prioritário

Das 9 milhões e 943 mil doses que faltam para concluir a vacinação, que incluem, claro, a 1ª e 2ª doses, o relatório detalhou também o número específico para o grupo prioritário.

Considerando apenas esse público, faltariam 6 milhões e 658 mil doses, com um investimento necessário aproximado de R$ 391 milhões em imunizantes.

Fonte: ND Mais

  • message
    Postado por
    Estação FM
  • today
    Data
    31/03/2021
  • folder
    Categoria
    Santa Catarina
  • code
    Feito por
    Sistema Plug
Copyright © 2021 Sistema Plug Todos os direitos reservados
Desenvolvimento Web Plug | J.S
Copyright © 2021 | Sistema Plug
Desenvolvido | Web Plug