Ouça agora na Rádio

foto-locutor

Buscando...

Buscando...

Brasil

Destaques

Locais/Regionais

Compartilhe agora

Representando o empresariado catarinense, Reck participa de agenda com o presidente da República

Postado em 10/06/2021 por

Feature image

*Fonte imagem : Assessoria Acislo*


O empresário lourenciano e membro do conselho superior da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Ernesto Joao Reck, participou, na segunda-feira (7), de uma agenda, em Brasília, com o presidente da República, Jair Bolsonaro. O encontro, que reuniu um grupo de mais de 50 empresários, presidentes e representantes das 27 federações do Sistema CACB (Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil), além da Diretoria do Sebrae e membros da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), permitiu a discussão de assuntos como a ampliação do Pronampe, a manutenção do Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (Bem) e o andamento das reformas estruturantes.

Lembrando que a agenda é resultado da articulação da CACB, Reck disse que o encontro permitiu mostrar ao governo federal que existe uma classe empresarial organizada e unida e que está disposta a trabalhar pelo bem do país. “Nós cobramos que o governo se envolva na reforma administrativa e na reforma tributária”, revelou defendendo que isso é extremamente importante para o desenvolvimento do país. Segundo ele, o grupo também pediu celeridade na vacinação.

No caso do Pronampe, Reck explicou que o grupo sugeriu a continuidade, mas também solicitou que o mesmo chegue até a base, para os pequenos empresários que ainda passam por dificuldades. “Tanto o presidente quanto o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmaram categoricamente que os programas do governo que estão dando certo terão continuidade”, disse frisando que também houve o pedido para desoneração da folha.

Na conversa, o presidente da CACB, George Pinheiro, fez elogios aos programas que o Executivo lançou desde o início da pandemia, em socorro às empresas. No entanto, alertou ele, ainda há muitos empresários precisando de socorro e à beira da falência. Pinheiro pediu a Bolsonaro e Guedes que o aporte dado ao Pronampe este ano seja, pelo menos, igual ao do ano passado, quando foram ofertados mais de R$ 30 bilhões em crédito.

Participação

Estiveram presentes, ainda, o ministro da Cidadania, João Roma, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência do Brasil, Onyx Lorenzoni, da Infraestrutura, Tarcisio de Freitas, da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, do ministro-chefe do gabinete de Segurança Institucional, General Heleno, e da Saúde Marcelo Queiroga, além do deputado federal, Silas Câmara (Republicanos/AM).

Fonte: Assessoria Acislo

Deixe um comentário

Ao enviar um comentário você concorda com nossas politicias de comentários, saiba no link ao lado. política de comentários